Envelhecimento, oxidação, inflamação e degeneração dos discos.

Existem muitas teorias que tentam explicar o envelhecimento.

Entre eles estão: alterações epigenéticas, instabilidade genômica, redução dos telômeros cromossômicos, perda da proteostase, alteração da comunicação intercelular, diminuição e deficiência de células-tronco, estimulação das vias metabólicas celulares, perda da capacidade de divisão das células e disfunção mitocondrial.

Várias dessas teorias são explicadas por meio do estresse oxidativo, que nada mais é do que um desequilíbrio entre a formação de espécies reativas de oxigênio (ROS) e nitrogênio (ERN) e nosso sistema antioxidante natural “Detox”. Vamos explicar um pouco mais.

Muitas reações do nosso metabolismo geram espécies reativas de oxigênio (ou radicais livres), essas espécies reativas se ligam a carboidratos, proteínas e lipídios, modificando suas estruturas e gerando danos funcionais. No entanto, nosso sistema possui várias substâncias que têm o efeito de neutralizar esses radicais, incluindo algumas enzimas (SOD, CAT, GSH-Px), algumas não enzimáticas, como a glutationa (GSH), e alguns nutrientes que obtemos da nossa dieta (vitamina C, vitamina E, carotenos, flavonóides, entre outros).

Esses antioxidantes naturais neutralizam ROS e ERN, no entanto, por diferentes razões e em diferentes circunstâncias, mais moléculas de ROS são geradas do que moléculas de Detox, razão pela qual mudanças estruturais são geradas em células, tecidos, organelas celulares como mitocôndrias, membranas como uma membrana celular e até mesmo órgãos. Assim, essas mudanças impedem o funcionamento normal, como a síntese de energia, a síntese de proteínas, a troca de nutrientes ao nível celular, as comunicações intercelulares, o funcionamento do nosso sistema de defesa, a comunicação neuroendócrina e também a programação da morte celular.

O efeito do estresse oxidativo também é determinado pela formação de mediadores inflamatórios, como interleucinas, fator de necrose tumoral e PCR. O processo inflamatório também gera danos às células e tecidos, alterando o funcionamento normal do organismo e promovendo doenças crônicas como doenças cardiovasculares, diabetes e obesidade.

Uma das teorias citadas acima, a da estimulação das vias metabólicas celulares, foi explicada por meio de alguns nutrientes, incluindo glicose e alguns aminoácidos, que estimulam vias metabólicas como mTOR, GFS-1 e AKT-1 que estimulam a ativação de genes que sintetizam fatores que aceleram a disfunção e morte de algumas células. Ou seja, alguns nutrientes estão relacionados a disfunções e morte celular, ou seja, envelhecimento. E explica porque algumas situações dentro do nosso estilo de vida, como alimentação, peso corporal, quantidade de gordura corporal e sedentarismo, aceleram o envelhecimento, a perda da capacidade de algumas células se dividirem e até a morte celular, de organelas, como mitocôndrias, células de tecidos como cartilagem, músculos, tendões, ligamentos, matriz extracelular, tecido epitelial (a pele), entre outros, gerando doenças metabólicas, musculoesqueléticas, cardiovasculares, etc. Entre eles, a degeneração dos discos intervertebrais. A boa notícia é que podemos controlar nosso estilo de vida. E com os conselhos corretos poderíamos comer melhor, nos mobilizar mais, evitar alguns costumes e, principalmente, poderíamos tomar a disciplina de participar de exames de saúde de rotina frequentes, medindo marcadores de oxidação, inflamação, marcadores metabólicos, marcadores de danos a alguns tecidos , que nos permitem fazer mudanças que melhorem nossa saúde, nossa expectativa de vida e nossa qualidade de vida.



8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
0

42k Suplementos Nutricionias LTDA

CNPJ 22.632.989/0001-99

Rua Odete Laura Foggiato 360 CEP 82630040 Curitiba, PR. Brasil S.A.C (41)995323434

Todos os pedidos são postados nos correios num prazo máximo de até dois dias úteis.